Ok, como faz? – FOGO!!!

Dica de como fazer fogo como efeito visual em vídeo

Anúncios

Edição ontem, edição hoje

Quero falar a respeito de edição e sua evolução e a velocidade com que as coisas acontecem na tela. Tudo isso baseado no que sempre foi, desde sua estréia, o máximo de sua época. Claro que o exemplo é James Bond.

Sempre que estréia um filme, mesmo que tenha referências com aventuras anteriores, o filme em si considera que embora seja passado, faz parte do passado da época em que se passa o filme. Tudo que está, em cada um dos filmes de 007 é o melhor. Tem a roupa da moda, para homem e para mulher. Tem as expectativas da tecnologia, tem o que se espera de um vilão e os medos da sociedade, por vezes transformados em piada involuntária, mas isto é praticamente assunto para outro post. Hoje é sobre edição de imagens. Tanto faz se edição de vídeo ou edição de filme.

No lançamento de 007 a serviço de sua majestade, o único com George Lazemby, lá em 1969, o trailer que atraia o público deveria mostrar muito, aliás, quase tudo. A edição do próprio trailer era lenta e com cortes que parecem apenas um amontoado de imagens. Depois, um trailer feito por um fã. É impressionante que parece ser até outro filme. Vale a pena ver os dois trailers e comparar a qualidade de uma edição e outra. Não é que tenha envelhecido ou se tornado ruim, mas sim é o representante de uma época.

Primeiro, o original

 

 

Trailer feito por um editor e fã de 007

 

Krom – Sentinela do Espaço

Orgulhosamente apresentamos Krom, sentinela do espaço.

Uma produção totalmente independente, com orçamento daqueles  e muita vontade de se divertir.

Não é para os fracos.

Fan film do Wolverine

Muito show de bola. Se o seriado do wolverine fosse assim, seria muito legal. Até o cara que interpreta do dito cujo carcajú sanguinolento ficou bem.

Tem gente que não sabe brincar

Muitas vezes usei eles como exemplo, agora vou escrever um pouco sobre eles.

Tem muita gente que faz filmes baseados em seus heróis, os chamados Fanfilms. A grande maioria é muito ruim, feitos com o coração mas sem a mínima técnica, entretanto, sempre tem gente que não sabe brincar. Na verdade é um pequeno grupo. Não lembro exatamente onde ouvi, lembro que foi num filme, que com um pequeno grupo comprometido se consegue fazer coisas grandes. Assim é o grupo que fez alguns videos muito legais de duelos com lightsabers. Ryan Wieber e seu comparsa Michael “Dorkman” Scott são os principais realizadores, mas nada fariam sem os seus cúmplices, o que inclui o gênio mecânico e pai de Ryan. Sim, tudo em família.

Não vou colocar todos os duelos de sabres de luz que eles fizeram, apenas um, mas vou dizer, pessoalmente acho que ele tem uma coreografia e agilidade muito mais legal do que os próprios filmes da franquia mãe. Os garotos sabem o que fazer. Neste, temos Ryan Vs. Brandon. Dorkman está atrás das câmeras.

Se você teve paciência de ver todo o vídeo, devo ter visto mais de 100 vezes, vale a pena ver o making of. Está em inglês, mas é tranquilo de ver o empenho deles. Achei muito criativo o que fizeram com alguns legos e motor elétrico e principalmente como funciona o giro estilo bullet time. Muito legal.

E claro, o que acontece quando você é apaixonado pelo brinquedo? Quer cada vez mais. É o que ambos fizeram. Um envereda cada vez mais no reino dos visual effects e o outro na direção.

Composições feitas por Ryan Wieber

enquanto Michael “Dorkman” Scott faz filme de kung fu.

 

Documentário sobre os melhores

Desde Star Wars, a Industrial Light and Magic encanta as pessoas. Eu lembro da estréia de Guerra nas Estrelas, sim, não era chamado por Star Wars. Guerra nas Estrelas era o título oficial. Era chamado de aventura desmiolada recheada de efeitos visuais impressionantes. Diziam que o filme não tinha nada no roteiro que fosse tão bom assim, mas o brilhantismo do filme estava nas imagens que ninguém jamais tinha visto igual.

Basta ver que no mesmo ano, o último suspiro de Ray Harryhousen no cinema trouxe. O título acho que era Simbad e o Olho do Tigre. Mais um filme com personagens animados em stop motion. Não que fosse ruim para a época, mas ao assistir Star Wars, verá que eles usaram tudo, incluindo stop motion, mas de uma forma diferente.

Esse documentário é sobre essas maravilhas realizadas na empresa de George Lucas, que se nunca me convenceu como diretor ou roteirista, muito me fez acreditar no que vi na tela. Vale muito a pena ver e está legendado.

VFX com After Effects

A coisa que eu mais gostei nos filmes, em toda a minha vida, foram os efeitos visuais. A cada dia me especializo mais nesta área. Eu realmente gosto de fazer isso e de estudar isso. Felizmente me pagam para tal. Já postei algumas coisas que fiz com computação gráfica, hoje é a vez de uma brincadeira de aula feita com o Adobe After Effects, versão CS6.
Primeiro o rapaz foi gravado em video sobre um fundo neutro, também conhecido como fundo de chroma. Esse fundo é azul ou verde, mas desta vez foi azul.
Depois de gravado, vários processos foramm aplicados, compondo efeito por efeito que está na tela. Então, cada tiro e estilhaço foi aplicado separadamente. Foi bem divertido fazer.