Marillion – Sounds That Can’t be Made (2012)

Nem vou tentar um trocadilho com o título.

Nada de trocadilho com o título dessa vez…

O mais recente disco de estúdio do Marillion teria sido um excelente EP (para os padrões atuais) se contasse apenas com Gaza, Power e The Sky Above the Rain.

Sounds that Can’t be Made (realmente precisava daquele riff de teclado totalmente datado?), Pour My Love, Invisible Ink e Lucky Man são até boas canções, mas não estão à altura das três citadas acima e realmente só funcionam em alguns momentos ou nas suas metades finais. Em Montreal, a banda tem uma boa performance no geral, mas a música se arrasta durante muito tempo sem chegar a lugar nenhum.

Com apenas algumas passagens realmente memoráveis aqui e ali (alguns refrões, especialmente o de Power; ou os dois primeiros terços de The Sky Above the Rain e Gaza de uma maneira geral), faltou algo para ser a obra-prima anunciada em várias resenhas e comentários que li desde o lançamento do disco – ao menos pra mim, é claro.

(Leia a respeito aqui também.)

Música do dia – Mysterious Ways

Tempos depois dos americanizados Joshua Tree e Rattle and Hum, o U2 se bandeou para a Europa novamente e reapareceu com um disco que foi até incompreendido quando lançado. A sonoridade, os vídeos e a personagem que Bono Vox encarnou causaram certa estranheza, mas, usando um velho clichè, podemos dizer que Achtung Baby estava à frente do seu tempo e já pode ser considerado um clássico na discografia da banda.

Música para fechar o dia – Ray Wilson

Ok, ok… Ainda é cedo e nem escureceu para dizer que esta é uma música para fechar o dia. Mas como o Tcheloco geralmente é mais rápido do que eu no Música do Dia e não pretendo sobrecarregar o Alerta com a seção, essa aqui vai como uma espécie de prólogo para um post que eu pretendo escrever em breve. Ou não.

Pois bem, a música em questão é do disco mais recente do Ray Wilson com sua banda Stiltskin, o excelente Unfulfillment, de 2011, que, NMHO, merece ser divulgado e elogiado.

Mais Dire Straits, mais reminiscências e menos ranhetice dessa vez

Dando seqüência às minhas reminiscências e ranhetices, aproveito o gancho do post anterior onde falei do On Every Street e dos tempos do disco de vinil, o que me leva ao dia em que comprei o meu primeiro bolachão. O Brothers in Arms ainda era um fenômeno relativamente recente e o Dire Straits, uma banda que começava a despertar meu interesse.

Se bem me lembro, foi nesse contexto que, durante uma caminhada com alguns amigos pelo centro de Porto Alegre (um deles o nosso colega Tcheloco, o outro um dos nossos leitores, o Exoman), acabei entrando na hoje extinta loja Imcosul (isso, com “m”) para dar uma olhada na seção dos discos, onde encontramos, por um preço bem em conta, dois exemplares do Communiqué, o segundo disco do Dire Straits. Ninguém tinha dinheiro suficiente no momento, mas o Exoman parece que já conhecia a bolacha e disse que iria comprá-lo depois. Continue lendo

Ben and Sera Theme (from Leaving Las Vegas)

“I do.I really do.”

Boa parte da trilha sonora de Leaving Las Vegas é basicamente composta de peças de jazz e blues (compostas pelo diretor, Mike Figgis, que também toca trompete e teclados)  que  refletem e evocam exatamente a atmosfera late night que o filme retrata.
Mas, no meio do jazz, uma melodia se sobressai. Uma melodia que me conquistou desde que vi o filme e até hoje eu considero lindíssima, e que – acho que não falo nenhuma bobagem – tem influência de Ennio Morricone nos seus momentos mais tocantes .

Uma pena ser tão curta.

Música do dia – Stairway to Heaven

Este é um daqueles meus posts que são considerados pelos colegas de blog como “bobagens esquisitas” ou “explicações do além”.

É a explicação da letra de Stairway to Heaven, a melhor de todas as músicas da banda Led Zeppelin.

Assim como posts anteriores, sobre o filme Matrix, ofereço a pílula azul ou a pílula vermelha.

Se achar que vai me achar “mais doido que o normal” depois deste post, nem leia.

Então, vamos começar…

Continue lendo

Música do dia – Sowing the Seeds of Love

Tears for Fears pra vocês.

Sowing the Seeds of Love.

Baita musicão.