16- Starman – O Homem das Estrelas

Starman_film_posterJohn Carpenter é um rebelde. Um iconoclasta da estirpe de Sam Peckinpah, Sergio LeoneDon Siegel, e mais recentemente, Walter Hill, Clint Eastwood e John Millius, os últimos diretores machos. Em 1984 seu nome era reconhecido por ter dirigido dois grandes sucessos de bilheteria produzidos com parcos recursos: Halloween e Fuga de Nova York. Em seguida, com um pouco mais de grana, a refilmagem de The Thing. Psicopatas, mercenários pós-apocalípticos, monstros espaciais… Como se vê, no menu desse outsider parecia não haver espaço para romances água-com-açúcar, dentro dos moldes dos grandes estúdios. E então ele surpreendeu a todos com Starman – o Homem das Estrelas.

Em 1977 a NASA enviou uma sonda espacial, a Voyager 2, com mensagens de paz e um convite para que eventuais viajantes de outros planetas nos visitassem. Uma civilização alienígena intercepta a mensagem e em resposta enviam um representante, para uma missão de três dias em nosso solo. O pacífico visitante, contudo, é perseguido por forças militares, vendo-se obrigado a se esconder sob uma forma humana. Ele assume as feições de um homem recentemente falecido, Scott. Com a ajuda de Jenny, a viúva de Scott, o extraterrestre deve cruzar parte dos Estados Unidos até chegar no ponto de encontro, onde seus conterrâneos irão buscá-lo. No caminho, aprenderá sobre os modos e costumes humanos, e é claro, sobre o amor. Ah, mas como não se apaixonar por Karen Allen, com aqueles dois imensos faróis azuis?singhstrmn720p233658

Starman deveria ter sido realizado alguns anos antes. A Columbia Pictures desenvolvia dois roteiros em paralelo, ambos tratando sobre o mesmo tema: aliens perdidos na Terra. O estúdio concluiu que apenas um dos roteiros deveria ser levado adiante, descartando o outro. O roteiro rejeitado foi produzido  pela Universal. Dirigido por um tal Steven Spielberg, conquistou relativo sucesso mundial, com o título de E.T. – O Extraterrestre. Alguma cabeça deve ter rolado na Columbia.

John Carpenter

John Carpenter

Apesar de estar fora de seu ambiente natural, Carpenter dirigiu Starman com rara sensibilidade. Há que se ressaltar também a bela trilha sonora de Jack Nietzsche. Mas o maior mérito do filme é a inspirada performance de Jeff Bridges como o alienígena, que lhe valeu inclusive uma indicação ao Oscar de 1985. E pensar que o papel inicialmente era pra ser do Kevin BaconD0B7AB1BCAB4A5B05697D5B09159F6

Curiosidade: Starman não foi um sucesso de bilheteria. Foi somente o 30º filme mais visto em 1984. Ainda assim, gerou apelo suficiente para a realização de um seriado homônimo. Na série, o alienígena voltava à terra 15 anos depois, na pele de um jornalista, para junto de seu filho adolescente (ele engravidara a moça antes de retornar a seu planeta), tentar encontrar Jenny, que está desaparecida. O alien era vivido por Robert Hays, o piloto atrapalhado dos Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu. E por falar em piloto, o seriado era tão ruim que não deveria ter passado do piloto. Durou uma temporada, e foi muito.

Trailer de Starman.

5 Respostas

  1. E assim, caríssimos dois leitores do AG, chegamos à metade da Maratona 30 anos, 30 filmes. Espero poder terminar a outra metade antes do fim de 2014, hehe

  2. Deu vontade de rever o Starman.

    Mas… Não eram 30 filmes em 30 dias?😉

  3. Sim, em 30 dias. Não sequenciais.🙂

  4. Não era… Jenny ?

  5. Era. Corrigido. Vlw

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: