21 – O Exterminador do Futuro

Terminator1984Não havia internet em 1984. Pelo menos não para nós, pobres mortais vivendo no fim do fundo da América do Sul. A única ideia que tínhamos a respeito de uma rede mundial de computadores vinha do Jogos de Guerra, e pelo que o filme apresentava, ela servia somente para lançar mísseis nos soviéticos e brincar de jogo-da-velha. Nesses tempos sem Omelete e IMDB, conseguir qualquer informação que fosse sobre os lançamentos da telona era tarefa árdua. A única revista disponível no mercado era a Cinemin, da EBAL. E foi através de uma edição especial de Cinemin que ficamos sabendo a respeito de O Exterminador do Futuro.

Cinemin Fantastic era o nome da revista; o Tcheloco guarda consigo até hoje a sua cópia, como um tesouro. No interior, informações  preciosas sobre clássicos dacinemin-fantastic-james-bond-indiana-jonas-ed-ebal_mlb-o-92221183_726 ficção científica, filmes de James Bond e anúncios dos lançamentos da época… Entre eles, uma foto promocional de O Exterminador do Futuro. Apenas uma foto, com o rosto de Arnold Schwarzenegger, metade homem, metade máquina, e uma econômica legenda informando o título. Nada mais. Mas já foi o suficiente para estimular nossa imaginação juvenil. Aguardávamos ansiosos pela estreia.

Quando finalmente o Exterminador do Futuro chegou em Porto Alegre, temíamos que não nos deixassem entrar, pois devido às sequências de violência e uma cena curta de sexo, o filme fora proibido para menores de 16 anos no Brasil. Para nossa sorte, contudo, nessa época de inflação e crise, os donos de cinema estavam mais preocupados em faturar do que ficar barrando moleque na portaria por determinação da Censura.

Dentre as inúmeras razões que fizeram de O Exterminador do Futuro um clássico instantâneo, a principal foi a engenhosidade de seu roteiro, uma abordagem criativa do tema da viagem no tempo. No ano 2029, homens e máquinas travam uma guerra sangrenta. A humanidade está levando a pior. Usando a tecnologia a seu dispor, as máquinas enviam um andróide (Arnold Schwarzenegger) ao passado, com a missão de matar Sarah Connor (Linda Hamilton), que um dia será a mãe do futuro líder da resistência humana. Os homens, contudo, também conseguem enviar um voluntário (Michael Biehn) para proteger Sarah e tentar salvar a humanidade. No final, uma grande sacada: o tal redentor da nossa espécie era filho justamente do homem que havia sido enviado para salvar sua mãe.

Linda Hamilton e James Cameron

Linda Hamilton e James Cameron

O roteiro, assim como a direção ágil e o design dos temíveis T-800, foram obra de um canadense chamado James Cameron. Egresso da turma do Roger Corman, em seu currículo trazia créditos em equipes de efeitos especiais visuais, como pintor de tela de matte ou técnico em stop motion: trabalhou em pérolas como Galáxia do Terror, Mercenários das Galáxias e Fuga de Nova York. A estreia na direção foi com o medonho Piranha 2. Reza a lenda que durante as filmagens deste terror písceo, Cameron teria sonhado com a imagem do torso do que viria a ser um T-800 se arrastando pelo chão. Três anos após o pesadelo, Cameron arrombava as portas do mainstream, de onde nunca mais sairia.

Outro grande mérito de Cameron foi ter feito muito com pouco: o Exterminador é um filme B com pinta de produção de grande estúdio. Se não podia contar com um John Wiliams acompanhado de uma sinfônica completa para a trilha, os sintetizadores de Brad Fiedel davam conta do recado. Quem não lembra deste tema? Se a grana não era suficiente pra contratar a ILM, o negócio era chamar o Stan Winston e juntos fundarem a própria companhia de efeitos visuais. Através da tática de guerrilha, Cameron e sua turma transformaram um filme de U$ 6,5 milhões em uma franquia bilionária.terminator1

Curiosidades: a famosa frase “I’ll be back”, que viria a ser a marca registrada de Arnold Schwarzenegger, foi dita pela primeira vez em O Exterminador do Futuro. O American Film Institute elegeu o bordão como a 37.a melhor frase do cinema de todos os tempos. No roteiro original estava escrito “I’ll come back” .

segredos-exterminador-futuro_8Bill Paxton pode arrogar para si a glória de ter sido morto por três monstros lendários do cinema pós-moderno: ele é o punk de cabelo azul que o exterminador liquida logo no início do filme. Dois anos depois morreria vítima de um “Alien”, e pouco depois ainda sucumbiria ao Predador.

Aqui o trailer.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: