Trinta anos esta noite

1984vertical

Veja se alguma das seguintes frases não lhe soa familiar:

– “Música era o que se fazia  no meu tempo, não esse lixo que se escuta hoje em dia.”;

– “No meu tempo as crianças se comportavam, obedeciam aos pais; hoje não passam de um bando de malcriados.”;

– “A TV de hoje só mostra porcaria. Bom mesmo era no meu tempo, quando só tinha programação de qualidade.”

Os integrantes de cada geração tendem a acreditar que tudo o que viveram no decurso de sua juventude sobreleva-se à experiência daqueles que os sucederam. Na falta de uma expressão mais adequada para definir tal fenômeno, vamos chamá-lo de “Síndrome de no meu tempo era melhor”. Uma tendência que o passar dos anos só faz acentuar, razão pela qual os velhos são geralmente mais ranhetas.

O Alerta Geral não quer fugir à regra: por isso, vamos homenagear o “nosso tempo”, que com certeza foi bem melhor que o de vocês, que nasceram depois. Por que? Ora, porque foi o “nosso” tempo.

Em 1984, a maioria dos colaboradores desse blog tinha cerca de 12, 13 anos. Ou seja, lá se vão três décadas desde o início de nossa adolescência. Olhando em retrospectiva, percebe-se claramente como esse ano foi rico em matéria de filmes marcantes, tanto no que diz respeito aos blockbusters como na seara do chamado cinema de arte.

A princípio a ideia era fazer somente um top 10. Contudo, a quantidade de filmes representativos lançados em 1984 era tamanha que a lista acabou extrapolando para trinta, justamente o número de anos transcorridos desde então. Isso permitiu que mesmo aqueles títulos ruins de doer pudessem figurar na relação, ou por serem emblemáticos do período ou somente por ocuparem lugar cativo em nossa memória afetiva, a despeito de toda sua falta de qualidade.

Um ano antes, 1983, era inaugurado o primeiro grande shopping center de Porto Alegre, o Iguatemi. Na época não tínhamos ideia, mas ali estava sendo gestado o ovo da serpente, que acabaria de vez com os chamados cinemas de calçada. A lista que será postada pelos próximos dias revela um sentimento nostálgico também nesse sentido: nossa geração foi a última a assistir cinema em salas de cinema.

images

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: