Play it again, Sam

Hey Mama! Look at me! I'm on my way to the promise land...

Hey Mama! Look at me! I'm on my way to the promise land...

Graças aos três Evil Dead, Sam Raimi teve seu nome definitivamente associado ao cinema de horror. Entretanto, para além da trilogia que o projetou mundialmente, o diretor não contava com mais nenhuma  incursão no gênero: o único outro título em sua filmografia a chegar mais perto desse rótulo havia sido o O Dom da Premonição, suspense meia-boca protagonizado por Cate Blanchett, em 2000. Hoje em dia é possível afirmar que Raimi, apesar da fama, é mais um realizador de filmes de herói do que propriamente de horror, pois além dos Homem Aranha, deve-se creditar na sua conta o semiclássico Darkman, de 1990.

O cara devia estar se sentindo em dívida com o gênero, pois resolveu fazer dois filmes de horror de uma sentada: Drag me to Hell (2009) e a nova refilmagem de Evil Dead, anunciada para o ano que vem. No caso de Drag Me to Hell, chama  a atenção a calorosa acolhida por parte da crítica norte-americana, algo bastante incomum para esse tipo de filme; geralmente o horror é considerado um subgênero menor, mero entretenimento para adolescentes descerebrados (o que não é uma leitura de todo incorreta, admitamos). No site Metacritic, que estabelece uma média entre as notas dadas pelos principais críticos cinematográficos dos EUA, o filme recebeu nota 83. Pra que se tenha uma ideia, Gran Torino, um clássico nato, está cotado com 72. Credenciais bastante promissoras…

Drag me to Hell é estrelado pela bonitinha e talentosa Alison Lohman, que já havia se destacado  ao lado de Nicholas Cage, no correto Os Vigaristas (Ridley Scott, 2003). Aqui ela faz uma agente de crédito em um banco de Los Angeles, que, ao negar o empréstimo a uma velha senhora, vê sua rotina transformada num inferno vivo. É que a tal da tia era uma cigana, e quem já leu Stephen King sabe que praga de cigano é coisa muito séria.

Levando-se apenas a sinopse em consideração, não parece grande coisa. O negócio é esperar pra ver o porquê de tanta badalação. Drag me to Hell estreia nesse fim de semana lá na terra do Tio Sam (não o Raimi, o outro, aquele com a  cartola e a barbicha), para disputar as migalhas deixadas por um dos candidatos a blockbuster do ano, a animação Up.

Para o ano que vem, a grande pedida será a segunda refilmagem de Evil Dead. Será que teremos o bom e velho Bruce Campbell retomando o papel de Ash, o sujeito que mais consegue agüentar porrada do mundo sobrenatural? Esperamos que sim. Se isso não acontecer, teremos que conjurar Guan-di, o deus do tofu, para resolver as coisas.

Em tempo: quando afirmo que esse Evil Dead será uma nova refilmagem, não é porque considere o segundo filme, Uma Noite Alucinante, um remake, a exemplo de muitos fãs. Na verdade, o primeiro filme, de 1981, já era uma refilmagem de Within the Woods, média-metragem que reunia Bruce Campbell, uma cabana isolada na floresta e…

Anúncios

3 Respostas

  1. Eu me lembrava da Alison Lohman mais pela jovem paixão do Ewan McGregor no filme Peixe Grande, do Tim Burton.
    Ah, sim, e a respeito deste trecho:

    “quando afirmo que esse Evil Dead será uma nova refilmagem, não é porque considere o segundo filme, Uma Noite Alucinante, um remake, a exemplo de muitos fãs. Na verdade, o primeiro filme, de 1981, já era uma refilmagem ”

    A conclusão óbvia é: quando não está trabalhando com material do Stan Lee, o Sam Raimi só sabe fazer o mesmo filme.

  2. E dê-lhe catchup!

  3. Aquele faroeste com a Sharon Stone e o Di Caprio é bacaninha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: