Star Trek Begins

Zero quilômetro

Zero quilômetro

E lá vamos nós de novo com mais um filme “assim tudo começou”. Nos últimos tempos é o que o cinema tem apresentado de fato. Já que os personagens fazem sucesso, tem que trocar os atores e seguir faturando. São as leis de mercado, fazer o quê?

Isso rendeu um Homem de Ferro que parece apenas um episódio de uma série de televisão, um batman muito bom, um James Bond muito bom, um Wolverine cretino, oito vezes menor e tão ruim quanto duas tentativas de fazer o Hulk dar certo na telona… As vezes se acerta, as vezes se erra. Acho que nessa história das franquias cinematográficas os sujeitos acertam muito ou erram muito. Não tem meio termo.

Ao contrário dos outros membros do AG, eu sou fã de Star Trek. Sempre fui. Então vou contar a experiência de um fã desde o início desse filme novo. Quando soube que ia ter um novo filme eu pensei… Mais umas piadas sem graça do senhor Data. Picard com cara de pastel… mas no fim é divertido. Depois soube que ia ser uma renovação e obviamente pensei que seria tão ruim quanto o Homem de Ferro. Daí soube que ia ser dirigido por J.J. Abrams. Imediatamente eu tive certeza de que seria um filme muito bom.

Fui ver e realmente é um filme muito bom. Muito melhor do que esperava. Muito longe do que Gene Roddenbery gostaria de ver. O sujeito era adepto da ficção científica cerebral, mas e daí? Star Trek fez sucesso por causa dos roteiros e por causa do capitão que guinda os malucos com uma concha bem dada na orelha. Ele não pensa muito, só vai e vê no que vai dar depois. Esse é o Capitão Kirk que mesmo maduro (caindo de) garantiu o sucesso dos primeiros filmes no cinema. O canastrão simpático, William Shatner, com suas paradinhas no texto. Desconfio até hoje que ele esquecia o texto.

O novo filme não é um filme de origens, chato, onde só fã liga uma coisa com a outra. O diretor criou personagens ricos, cheios de histórias próprias. Quem é fã, vai gostar. Quem não é vai ficar fã. Vai ir no segundo, terceiro, quarto…

Claro que tem um ou outro furo no roteiro, que um pentelho chato se apega para ficar torrando a paciência, mas nada que enterre o filme. Nem tudo é perfeito.

Para os fãs, a primeira sequência e o fim do filme é louco de especial. Não tem como descrever o que é ver e ouvir o final desde filme.

Resumo da ópera. É bom e vale cada centavo.

Macacada reunida

Macacada reunida

Anúncios

Uma resposta

  1. mas aaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhh Sylar do Heroes fazendo papel de Spok 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: