Quem mais quer um macaco vivo?

Quem, como eu, anda pela casa dos trinta e todos, deve lembrar da extinta revista Kripta, de saudosa memória. A Kripta publicava material das revistas norte-americanas Eerie e Creepy, ambas editadas pela lendária Warren Publishers. O cardápio de gêneros era variado: ficção científica, policial, capa-e-espada, erotismo, etc., mas o carro-chefe eram as histórias de terror.

Pelas páginas da Creepy e da Eerie passaram grandes mestres da HQ, como Alex Toth, Neal Adams, Berni Wrightson, José Ortiz, Esteban Maroto, Frank Frazetta, Richard Corben, Pepe Gonzalez, Wally Wood, Will Eisner, entre tantos outros.

Eis que, passados mais de trinta anos, reencontro todo esse pessoal, agora em formato cbz e cbr. Estou me divertindo nessa verdadeira Sessão Nostalgia. Mas além das histórias em quadrinhos, todas publicadas no início dos anos de 1970, o que mais chamou minha atenção foi a grande quantidade de publicidade existente nas revistas, todas anunciando produtos, digamos, absurdos.

A Eerie número 10, de 1969, traz o anúncio de um pequeno kit para montar sua própria mini-guilhotina, com a chancela do Museu da Madame Tussaud. “A wonderful kit for do-it-yourself decapitation”. Educativo… Muito educativo.

Na Eerie 39, de fevereiro de 1972, os caras simplesmente oferecem macacos para a garotada. De acordo com o anúncio, o garoto que adquirir o símio se tornará a criança mais feliz do quarteirão. Afirma ainda o reclame que o mascote será praticamente um membro da família, comendo as mesmas coisas que os humanos comem, podendo, inclusive, ser vestido com pequenas roupas. Entrega garantida.

Na mesma edição, uma planta carnívora que come insetos e pedaços de bife cru pode ser sua por apenas U$ 1. Uma barbada! E os caras-duras ainda colocam um retrato do Darwin, para conferir maior legitimidade ao anúncio.

No número 75, dois bonecos movidos à corda, representando o Dr. Zaius e o Cornelius do Planeta dos Macacos. Dois horrores em miniatura; porém, são anunciados na revista como sendo os “maiores robôs desde Metrópolis”, em referência a andróide Maria, do clássico de Fritz Lang.

Por fim, na Creepy 32, não é o produto que chama a atenção, mas a forma como este é anunciado: “Compre ou morra!” Sem dúvida, bastante persuasivo. Estudar na ESPM pra que?

Anúncios

2 Respostas

  1. Pô, mas os bonequinhos do Dr. Zaius e do Cornelius são maneiros!!!!

  2. Notem outro detalhe. O anúncio “Buy These or Die” é de coletâneas de livros com contos selecionados (ou ao menos é o que dizem) por Forrest J. Ackerman, que eu não sei quem é, é por Basil Rathbone – ator sul-africano que se tornou por um certo tempo o “rosto de Sherlock Holmes”. Rathbone estrelou 14 filmes como o detetive entre 1939 e 1946, incluindo a adaptação do clássico O Cão dos Baskerville.
    Ah, sim, e o melhor: um dos últimos filmes na carreira longeva de Rathbone foi uma podreira dos anos 1960 que incluía ainda Boris Karloff e que se chamava… “The Ghost in the Invisible Bikini ”
    Cráááásico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: